quarta-feira, 2 de abril de 2014

25# Resenha: O Mago de Camelot - A Saga de Merlin Para Coroar Um Dragão | Marcelo Hipólito


Autor: Marcelo Hipólito
Editora: Novo Século (Novos Talentos da Literatura Brasileira)
Páginas: 152
Sinopse: De uma infância pobre e sofrida à irresistível ascensão aos salões dos grandes reis; de um começo sem esperanças ao despertar de um poder inigualável, invejado e temido, Merlin, é levado a se tornar o homem mais influente da Idade das Trevas. Confidente supremo do rei Artur e maior conselheiro da corte de Camelot. Misterioso e enigmático. Amado e odiado. Druida, monge e mago.
Na Britânia do Século V da Era Cristã – abandonada pela queda do Império Romano à barbárie dos invasores saxões –, Merlin surge para impor um novo tipo de rei a um povo abatido e desesperado, alterando, para sempre, não apenas o destino dos britânicos, mas de toda a humanidade.
A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça numa terra devastada pelo caos e a guerra em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia.






"- O destino é implacavél. Mas lembre, Artur, nós sempre temos escolha. 
O futuro não está definido. Ele é fluido, incerto, moldado segundo nossas vontades."

Só pelo título do livro vocês já devem imaginar de que se trata o livro, isso mesmo galera, este mais um livro sobre a vida do mago mais famoso de todos os tempos, Merlin!!!


A história se passa no século V d.C., na Britânia, em uma época na qual os britânicos, liderados por Constantino, lutavam para impedir a invasão dos bárbaros saxões em suas terras. Neste cenário nos deparamos com a vida dos irmãos Merlin e Nennius, que sobrevivem nesse mundo através de pequenos furtos. Durante uma tentativa de roubo eles são pegos e levados como prisioneiros ao calabouço do castelo e ficam por um longo tempo aguardando o seu fim.

Paralelamente co campo de batalha os britânicos lutam contra os bárbaros, entretanto Vortigern, conselheiro do rei, traí e mata Constantino, usurpando-lhe o trono e obrigando seus dois filhos a fugir. 

Merlin e Nennius continuavam presos no calabouço, até que o druida Blaise exige que eles sejam libertados. Blaise por sua vez leva os irmãos até Vortigern, para que ambos sejam sacrificados em um ritual. No entanto, ao fincar sua adaga no corpo de Nennius, Blaise se depara com uma mensagem transmitida em seu sangue, depois disso ele liberta Merlin e o leva consigo.

"E Blaise espantou-se com a mensagem revelada no precioso líquido. Atônito, precipitou a adaga contra Merlin, mas em vez de estocá-lo, cortou-lhe as amarras, libertando-o."

Blaise leva Merlin à Avalon, a ilha sagrada do druidas, e lá ele torna Merlin seu aprendiz e começa a lhe ensinar as artes antigas da Natureza. Apesar do próprio Merlin jurar se vingar de Blaise, pela morte de seu irmão.

Os anos se passam e Merlin se torna um poderoso druida. E Uther, filho de Constantino, com a ajuda de Merlin, consegui se tornar rei da Britânia, entretanto, ele pagou um preço auto por isso... seu filho, que é entregue ao mago.

Anos se passaram, e o pequeno bebê agora é um jovem forte e justo, de nome Arthur. 

"- Lembre-se do que lhe ensinei: nossos atos trazem dentro de si mesmos a sementes de nossa própria ruína."

O livro me surpreendeu bastante, apesar de ter poucas páginas e da escrita do autor ser bem objetiva, ele é repleto de acontecimentos.

O autor criou uma versão bem inovadora da história de Arthur, tendo como principal foco o mago Merlin, que neste livro se mostrou diferente de qualquer outra maneira que já tinha sido idealizado. Neste livro eu pude acompanhar seu crescimento, de certa forma, religioso, se usando das artes antigas e dos conhecimentos do cristianismo. E depois que li o livro a minha visão sobre o Merlin em si mudou geral. Ele se mostrou um personagem completamente diferente daquele dos filmes da Disney, ele sente ira, raiva, rancor, desejo, e tem seus próprios objetivos.

Os demais personagens também foram bem construídos, mas nenhum foi tão trabalhado quanto Merlin. O autor reuniu alguns dos mais famosos personagens em sua história, dentre eles o rei Arthur, o cavaleiro Lancelot e a bruxa Morgana (malvada, odiosa, perigosa e sexy, sem ser vulgar). Arthur nesse livro não se surpreendeu muito, ele continuou com a imagem que conhecemos: um rei bondoso que luta por seu povo, ele só me surpreendeu no final, que por sinal foi muito épico!!


O livro também aborda alguns assuntos bem pesados, como violência, estupro, traição, vingança, mas isso é normal em livros assim, e a maneira como o autor escreve deixou esses assuntos mais amenos.

A escrita flui rapidamente, como eu já disse, o livro tem uma escrita bem objetiva, mas com um enredo muito bem formado e estruturado. O vocabulário do Marcelo Hipólito é bem vasto, tive que procurar algumas palavrinhas no dicionário de vez em quando.

A diagramação é bem simples, o livro é dividido em duas partes e ele contém um mapa no começo. A capa tem tudo a ver com a história, acho que ela retrata um das árvores de Avalon e já a sombra do dragão... bem, só lendo pra saber.

Minha nota é um 4. Livro pra lá de recomendado e uma leitura indispensável para leitores de livros épicos e medievais.


Tenho que admitir que não leio muitos livros que se passam em eras medievais, mas estou começando a gostar muito do gênero, espero ter coragem de ler os gigantes de As Crônicas de Gelo e Fogo algum dia.


Um comentário:

  1. Amei a resenha seguindo sdv?
    http://garotaliterary.blogspot.com

    ResponderExcluir