sexta-feira, 28 de julho de 2017

[187] Resenha: Mestre das Chamas | Joe Hill


Título: Mestre das Chamas
Autor(a): Joe Hill
Editora: Arqueiro
Páginas: 592
Saiba mais: Skoob
Sinopse: Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas. Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto. O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.
Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera. Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.



Em um futuro próximo o mundo inteiro está sofrendo com a epidemia de uma terrível doença, chamada Escama do Dragão, onde os portadores apresentam marcas pelo corpo e podem entrar em combustão e explodir à qualquer momento, se tornando pequenas bombas relógio. Em meio ao caos causado pela doença, somos apresentador ao cotidiano de Harper, uma jovem enfermeira muito dedicada e disposta a ajudar qualquer um que precise. Ela tem um namorado que a ama muito e vive alertando-a sobre os perigos de sua profissão, principalmente agora em decorrência da epidemia.

“Era surpreendente quanta fumaça um corpo humano era capaz de soltar ao ser engolfado pelas chamas.”

Mas mesmo com tanto cuidado, Harper acaba por contrair a doença, além de descobrir que também está grávida. Mesmo receosa, ela acaba dando as duas notícias ao seu namorado de uma vez. Ele, por sua vez, aceita bem as novidades e pergunta a Harper como os dois devem se matar, pois fizeram um trato de que iriam se suicidar caso um dos dois contraísse a doença. Entretanto, Harper não aceita mais o acordo, pois ela está grávida e fara de tudo para proteger a vida que carrega. Os dois discutem, mas acabam concordando em não se matar, porém, tempos depois, Harper é surpreendida pelo seu namorado, que finge querer se reconciliar, quando na verdade está tentando matá-la. Ela consegue fugir e no caminho encontra um homem que se denomina Bombeiro, que a leva para uma comunidade escondida para pessoas que possuem a doença.

Ao chegar na tal comunidade, Harper não é bem recebida e está sempre sendo observada com desconfiança, o que a deixa sempre com um pé atrás em relação à tudo. No meio tempo que passa lá, ela acaba descobrindo um jeito de desacelerar e controlar temporariamente os efeitos da doença, mas quando as coisas pareciam estar melhorando, elas acabam saindo do controle e Harper se vê aprisionada no lugar que ela achava ser a sua salvação. Mas com a ajuda do Bombeiro, ela planeja fugir do seu cativeiro e ir até uma suposta ilha onde os infectados pelo vírus são recebidos para seguir sua vida e usados como cobaias para os tratamentos da doença. A partir daí, Harper e seus aliados começam os planejamentos para arranjar um jeito de fugir da comunidade e encontrar essa ilha, mas será que eles conseguiram encontrar ajuda e até mesmo a cura em meio a tantas adversidades?

“A Escama do Dragão era a bala, mas o dedo que puxava o gatilho era o medo”

Devo começar minhas conclusões a respeito deste livro ressaltando que esta leitura foi como uma missão para mim, pois este é o maior livro que li até hoje e por uma diferença considerável em comparação aos outros. Quando comecei a leitura, eu imaginava algo totalmente diferente do que acabei lendo, mas isso não foi contado como um ponto negativo, e confesso que fiquei surpreso de certa forma. Este é o primeiro livro que li do Joe Hill, mas posso afirmar que ele escreve muito bem e a realidade apocalíptica que ele criou é muito bem construída, principalmente quando se trata da Escama do Dragão, que tem todos os seus detalhes muito bem explicados no livro.

Além disso, Joe Hill tem muita habilidade para criar seus personagens, que tem suas personalidades construídas pouco à pouco e são neles que o autor trabalha a tema apocalíptico, pois o tema da extinção e destruição da humanidade no livro não é tão trabalhado em escala global, mas sim em escala pessoal, na forma como a doença altera o cotidiano e a personalidade das pessoas, mostrando que muitas vezes que o ser humano é muito pior em comparação a qualquer doença.

“(...) A morte e a ruína são o ecossistema preferidos do homem. Já leu sobre a bactéria que prospera dentro do vulcão, bem à margem da rocha fervente? Somos nós. A humanidade é um germe que prospera bem na fronteira da catástrofe.”

Outro fato muito interessante do livro são as diversas referências do autor a grandes nomes clássicos da literatura e do cinema, que inclusive recebem agradecimentos no livro, como  é o caso de Mary Poppins (que eu já li e recomendo). A capa está bonita e em muito a ver com a história, a diagramação é simples e a fonte tem um bom tamanho, encontrei algumas erros de digitação, mas nada que atrapalhe na leitura.

Contudo, tenho algumas ressalvas em relação a obra, primeiramente, eu demorei bastante para ficar envolvido com o livro, o que praticamente só aconteceu na metade das quase 600 páginas do livro, a partir daí a história caminhou mais rapidamente e com muita ação, o que me deixou preso ao livro. Outro ponto negativo para mim foi o final, que achei muito aberto, dando gancho para uma possível continuação, que até o momento não sabemos se existirá.

Mestre das Chamas é um história apocalíptica original, bem escrita e com personagens bem construídos, uma história que não fala somente do possível fim da raça humana, mas também do fim da humanidade que existe em cada um. Recomendadíssimo.




6 comentários:

  1. Olá!
    Não conhecia a obra, mas depois de ler a sua resenha fiquei bastante curiosa para ler!! Obrigada pela dica!
    Beijos

    https://a-lilianaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Manoel, que doença diferente e perigosa. Alem disso ela ainda está grávida, realmente muito para processar. Não conhecia a obra mas fiquei bastante curiosa. Dica anotada. Tell me a Book

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Adoro o estilo de história do Joe Hill, são sempre bem diferentes e com um enredo impactante. Achei a sinopse desse muito instigadora e como eu adoro livros apocalípticos já quero o ler.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. oi, quando esse livro foi lançado, senti imediatamente vontade de ler, tanto que corri para comprar, mas logo dei uma desanimada e ainda nem li. Gostei de saber que você gostou da escrita do joe, e eu também o lerei pela primeira vez, e que bom que tem ação após a metade do livro, embora eu acho que poderia ter começado antes, né, eheh. Espero gostar quando eu ler.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Manoel.
    O tamanho do livro assusta um pouco e saber que você demorou para se envolver com a história, só acontecendo lá para a metade, me de desanima um pouco.
    Mas também achei a história bastante original e é um ponto bastante positivo os personagens serem bem construídos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    A premissa é bem interessante, porém fica receosa com livros grandes, já li algumas resenhas dos livros do Joe, sempre com ótimos elogios sobre a escrita, mas ainda não tive aquela vontade de ler seus livros. A história desse é bem diferente, mas não sei se leria. Odeio quando os livros são graandes e o final ainda assim fica em aberto rs' é meio irritante, ainda mais se não se sabe se terá uma continuação. Muito boa sua resenha, parabéns!

    beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir